Alta Floresta (MT), 22 de fevereiro de 2019 - 07:24

Polícia

13/02/2019 09:28 GazetaDigital

Empresário assassinado fazia delação, garante deputado

O deputado estadual Wilson Santos (PSDB) afirmou à imprensa nesta terça-feira (12) que o empresário Wagner Florêncio Pimentel, assassinado no último sábado (09), estava fazendo delação premiada sobre o caso de sonegação fiscal de mais de R$ 140 milhões. O homicídio, segundo o deputado, também será investigado pela Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que foi aprovada na sessão da noite de terça-feira.


O parlamentar também disse que Florêncio já havia iniciado o processo de delação, mas foi morto antes de concluir. “Ele já havia iniciado uma delação, não chegou a concluir a delação, parece que a viúva vai continuar a delação e nós entendemos que é importante a polícia contribuir com a CPI no esclarecimento do assassinato do Wagner”.
Wilson também afirmou que o caso será analisado pela CPI, por causa da possível ligação com a sonegação fiscal. “Nós vamos também pedir informações à polícia sobre o assassinato do Wagner Florêncio. Porque nós entendemos, e há também policiais que entendem dessa forma, que foi queima de arquivo. Ele estava cumprindo pena, usava tornozeleira”, afirma Wilson.
Mesmo com a pressão exercida para que alguns deputados retirassem a assinatura do requerimento de abertura da CPI, mas no final o documento teve 9 assinaturas, uma a mais do que é necessário para pedir uma Comissão desse tipo.


“Das 9 assinaturas, 6 são de deputados novatos, que eu sei que sofreram pressão para retirar essa assinatura. Isso foi importante porque começam com o pé direito, honrando a sua assinatura e a palavra. Não sou contra incentivos fiscais, mas desde que seja de forma criteriosa. Eu disse, só zona do baixo meretrício nesse Estado ainda não goza de incentivos fiscais, o resto deita e rola. Virou uma bagunça total”, enfatizou o deputado.


Assinaram o requerimento para a abertura da CPI os deputados estaduais Elizeu Nascimento (DC), Valdir Barranco (PT), Lúdio Cabral (PT), Janaina Riva (MDB), Dr. João (MDB), Thiago Silva (MDB), Delegado Claudinei (PSL), João Batista (Pros) e o próprio Wilson Santos, que será o presidente da Comissão, por ser o autor da proposta. O processo de investigação da CPI deve durar 180 dias.


Aplicativo divulgacao

Progresso FM 102,1

Av. Ludovico Da Riva Netto, 3274
Alta Floresta/MT - CEP 78580-000
Fone (66) 3521-3501 ou 3521-8188

 

 

Redes Sociais

Alta Floresta
Carregando...

? ºC

/

Proibida a reprodução de conteúdo sem citação da fonte.

Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo